Matérias

Cerca de 2,5 mil presos se batizam nas águas pelo Brasil

1001 views

Ações, promovidas pelo UNP, aconteceram em novembro. Veja como foi na galeria de fotos

Para o grupo Universal nos Presídios (UNP), a Palavra de Deus tem se cumprido na vida dos encarcerados de todo o Brasil. Para se ter uma ideia, em novembro, o bispo Afonso Silva (foto ao lado) – coordenador do trabalho em todo o País – organizou batismos nas águas em quase todas as unidades prisionais em que a Universal atua com o trabalho de evangelização.

Com a ajuda dos pastores e obreiros voluntários do grupo, as ações resultaram em mais de 2,4 mil presidiários batizados.

Esse número chama atenção porque quase equivale a toda a população do maior presídio feminino da América Latina, a Penitenciária Feminina de Sant’Ana, em São Paulo, que atualmente abriga 2.141 internas, segundo a Secretaria de Administração Penitenciaria (SAP) do Estado.

As ações foram idealizadas pelo bispo Afonso, que tomou como base a ordenança do Senhor Jesus contida na Bíblia, que diz “ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda Criatura; quem Crer e for batizado será Salvo” (Marcos 16.15,16).

“O batismo nas águas é a oportunidade de um recomeço”

“É claro que quando Ele disse isso incluía ali, com certeza, toda a população carcerária do Brasil e do mundo. Seguindo essa ordem, nós, bispos, pastores e obreiros do grupo UNP, fomos a todos os presídios do Brasil pregando o Evangelho e batizando os arrependidos, os sinceros, aqueles que deram credibilidade a essa ordem, ou seja, à Palavra do Senhor Jesus”, disse o bispo.

De acordo com ele, quando uma pessoa ouve a Palavra de Deus e a entende, ela tem a sua mente aberta. “Se ela é sincera e se arrepende, quando é submergida nas águas, então, todos os erros e crimes que ela cometeu ficam sepultados por conta desse arrependimento. O batismo nas águas é a oportunidade de um recomeço, o cancelamento do crime, do ódio. É o sepultamento da velha criatura e a oportunidade de um novo caminho, um recomeço.”

Quer conhecer mais sobre as ações do UNP pelo Brasil? Acesse o blog oficial do grupo clicando aqui. Curta também a página do grupo no Facebook.

(*) Com informações do grupo Universal nos Presídios (UNP)