Relacionamento

7 dicas valiosas para manter a vida a dois feliz

1833 views

A escritora e apresentadora Cristiane Cardoso é quem ensina. Leia

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que no Brasil foram registrados, em 2015, 1.137.321 casamentos civis, 2,8% a mais que em 2014.  O levantamento aponta ainda que em 2015 houve um declínio no número de divórcios concedidos. Cerca de 12 mil a menos que no ano de 2014.

Apesar dos números positivos, o IBGE indica que o tempo médio de duração de cada casamento (desde a realização até a sentença ou escritura do divórcio) ainda é preocupante: é de apenas 15 anos. Então, como agir para manter o casamento “até que a morte os separe” e, principalmente, uma união feliz?

Relacionamento fortalecido

Para manter a união próspera é preciso praticar exercícios diários, e que exigem sacrifício. Abrir mão das próprias vontades para agradar o outro, saber ouvir e respeitar fazem parte de alguns deles. Mas não é semente isso: só é possível fazer o companheiro feliz se formos felizes em primeiro lugar.

Em seu blog oficial, a escritora e apresentadora do Programa “The Love School – A Escola do Amor”, Cristiane Cardoso, dá 7 dicas necessárias para um casamento feliz e duradouro. Confira:

1 – Sacrifício: muitas vezes precisamos sacrificar as nossas próprias vontades para fazer um relacionamento dar certo. E temos que fazer o mesmo para ter um relacionamento bem-sucedido com Deus. O sacrifício não é para benefício de um ou de outro, mas para benefício da união em si.

2 – Confiança: um relacionamento não se inicia nem sobrevive sem confiança. Você só se casa com alguém em quem confia (ou pelo menos deveria). Não há como se relacionar com Deus duvidando do Seu caráter e do cumprimento das Suas promessas. Se você quer iniciar e manter um compromisso com Ele, então comece confiando em Sua Palavra, independentemente das circunstâncias.

3 – Respeito: o respeito em um casamento significa reconhecer o espaço e a importância do outro em sua vida e dentro do relacionamento. Você respeita o seu cônjuge, apesar das divergências de opinião, porque reconhece que ele exerce um papel fundamental para a união de vocês. Papel esse que você não pode exercer. O homem não sabe fazer o papel da mulher, nem a mulher sabe fazer o do homem. Um precisa das habilidades do outro para crescer como pessoa e ser bem-sucedido em todos os aspectos. Para que Deus faça aquilo que nós não podemos fazer, devemos respeitá-Lo, fazendo dEle a prioridade de nossas vidas e reconhecendo o Seu papel e a Sua importância nelas.

4 – Objetivos em comum: duas pessoas só permanecerão unidas se tiverem o mesmo objetivo de vida. Logo, apenas poderemos nos manter unidos a Deus se tivermos o mesmo objetivo que Ele tem. Que relacionamento haverá entre você e Deus se Ele estiver lutando por uma coisa e você por outra? Saiba qual é a causa de Deus e lute ao lado dEle. Se vocês não estiverem no mesmo time, então estarão em times adversários – não há meio termo.

5 – Diálogo: a falta de diálogo distancia o casal. De forma semelhante, quando deixamos de falar com Deus, estamos nos distanciando dEle. Compartilhe com Deus as suas experiências e dificuldades, mas ouça o que Ele tem a lhe dizer também. Assim, Ele poderá participar da sua vida, guiá-lo e ajudar no que for preciso.

6 – Atenção: em um casamento, o marido deve dar atenção à esposa e vice-versa. Isso significa que, mesmo estando longe do cônjuge, deve-se agir considerando a existência dele e do compromisso entre vocês. Paralelamente, o fato de Deus existir também deve implicar em seu comportamento e em suas escolhas.

Se sabemos que deveremos prestar contas a Deus em relação às nossas atitudes, então temos que agir de acordo com o que Ele estabelece. Quando está atento ao que Deus precisa e quer de você, você está dando atenção para Ele. Não viva como se Deus não existisse ou não estivesse observando tudo o que você faz se você realmente quer se relacionar com Ele.

7 – Intimidade: a intimidade do casal é muito mais do que um momento. Ela começa nos pequenos gestos de cuidado, apreciação, carinho e respeito. Essas pequenas coisas fazem a intimidade fluir de forma natural. Com Deus é a mesma coisa. Não podemos querer adquirir uma intimidade com Deus de forma forçada ou programada, mas ela flui naturalmente a partir de gestos simples, que fazem toda a diferença. Colocar Deus em primeiro lugar nas questões do dia a dia, priorizando seu relacionamento com Ele acima das suas tarefas e de outras pessoas, é um deles. A intimidade com Ele vem através de uma experiência pessoal com a Sua presença – não há nada mais glorioso.

Cristiane destaca ainda que, se para nos relacionarmos de forma bem-sucedida com uma pessoa todas essas coisas são necessárias, imagine para nos relacionarmos com Deus. Se nos esforçamos para manter a presença de alguém em nossas vidas, muito mais devemos nos esforçar para manter a presença de Deus nelas.

E, você está casado (a) mas se sente infeliz no seu relacionamento e quer mudar essa situação? Gostaria de ter um casamento duradouro e próspero? Então participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, na Universal.