Relacionamento

Os riscos da paixão

20 comments2404 views

Você sabe diferenciá-la do verdadeiro amor?

A paixão é um sentimento. O amor, não.

Estar apaixonado é sonhar acordado, ficar eufórico, sentir ciúmes e insegurança, ferir o parceiro constantemente, não se abalar por conta disso e nem ao menos mudar a sua atitude. É ter uma sensação gostosa, algo humano, e por isso arriscado.

Já o amor é algo incondicional, que vai além e não se restringe a sensações. Por meio dele a pessoa encontra felicidade em fazer o outro feliz.

De acordo com o apresentador doprograma “The Love School – A Escola do Amor”, Renato Cardoso, amar é se sacrificar pelo benefício de quem é amado. Portanto, fica longe de ser um sentimento, mas sim uma decisão marcada pela negação do próprio eu. Segundo ele, para quem ama, querer o bem da pessoa amada é mais importante do que qualquer interesse pessoal.

Ou seja, você se doa, se abdica e ajuda o outro a prosperar. Diante das dificuldades, quem ama cuida, não espera nada em troca, e, principalmente, não vive de prazeres momentâneos.

A Bíblia diz:

“Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.”João 4.8

Isso quer dizer que as pessoas que não conhecem a Deus jamais conhecerão o verdadeiro amor, pois ele não é algo carnal, mas sim espiritual. “Se elas vivem como se Deus não existisse, tratando-O com indiferença, mesmo sendo Ele perfeito, como conseguirão amar uma pessoa imperfeita? ” – questiona Renato.

Foi Deus quem criou o amor. E se não há uma comunhão com Ele é impossível ter um compromisso com alguém. O amor faz a pessoa ter uma visão inteligente diante das situações, faz com que ela pense antes de agir, fale com respeito, se coloque no lugar do outro para tomar qualquer atitude, e faz com que haja, previamente, avaliação das consequências. Enfim, o amor é sábio.

Quer entender mais sobre amor e paixão? Participe da Terapia do Amor, que acontece toda quinta-feira, no Templo de Salomão ou em Universal perto de você. Clique aqui e encontre um endereço.