Relacionamento

Quando a emoção fala mais alto

993 views

Conheça a história da mulher que trocou o país de origem pelo terrorismo, ao lado de duas crianças, para seguir o novo marido

Dizem que o “amor é cego”. A história da belga Laura Passoni, de 30 anos (foto ao lado), publicada no tabloide britânico Daily Mail, parece comprovar isso. No entanto, que tipo de “amor” é esse que faz uma pessoa mudar de religião, abandonar o seu país e levar duas crianças pequenas para a Síria – local sob domínio do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) – para seguir uma nova paixão?

Laura conheceu o marido, o tunisiano Osama Rayan, quando trabalhava em um supermercado na Bélgica. Na época, ela já tinha um filho de 4 anos de outro relacionamento. O casal teve outro bebê. Laura se converteu ao islamismo e foi convencida por Osama a se mudar para a Tunísia e, eventualmente, para a Síria – entre 2014 e 2015 –, onde seguiriam a doutrina do EI.

Porém, quando se mudou para a Síria, ela percebeu que as promessas feitas pelo grupo terrorista eram mentirosas. “Somente quando eu cheguei lá é que realmente conheci o significado do terror”, lembra. Laura conta que ficou confinada em uma casa onde as únicas coisas que podia fazer eram limpar e cozinhar. Embora não tenha sofrido violências, ela se sentia como uma prisioneira.

Com o tempo, percebeu que não valia a pena continuar vivendo daquela maneira. “Eu decidi fugir quando percebi que lá existia um grande risco de o meu filho se tornar um terrorista.”

Ela conseguiu fugir, mas pagou um preço alto ao retornar para a Bélgica. Foi presa, teve de pagar fiança e o Conselho Tutelar da Bélgica lhe separou de seus filhos por alguns meses e depois entregou as crianças aos pais dela. “Eu aceito a punição. Para ser honesta, isso é bem leve se for comparar ao inferno em que eu entrei na Síria”, assume. Atualmente, Laura faz campanhas para alertar mulheres a não cometer os mesmos erros. “Se você estiver considerando fazer isso, não faça”, aconselha.

Ciladas do coração

Laura conseguiu escapar. Porém, quantas são as mulheres que viram propriedade do EI e morrem sem nunca ter a chance de rever as suas famílias?

É por isso que a emoção nunca deve falar mais alto, comandando as nossas atitudes. Uma vida que é regida pelo coração sofre duras consequências, porque ele é instável e indefinido. A Bíblia tem uma definição exata para ele: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” Jeremias 17.9

Laura ainda não conhecia bem a pessoa com quem estava se relacionando, mas estava fascinada pelo novo e a proposta de uma aventura fora de seu país lhe pareceu ainda mais atrativa. Em outro capítulo bíblico há um provérbio que fala sobre esse tipo de sensação: Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte. Até no riso o coração sente dor e o fim da alegria é tristeza.” Provérbios 14.12,13

“O grande mal do ser humano é colocar os sentimentos antes da inteligência. Quem é dominado pelo coração sentimental paga um alto preço na vida. O maior deles é o de viver enganado”, alerta Renato Cardoso, em seu blog pessoal.

Se você tem vivido uma fase de indefinições no campo sentimental e quer aprender a lidar com isso, participe das palestras da Terapia do Amor, que acontecem todas as quintas na Universal.Clique aqui para localizar o endereço de uma igreja mais perto de você.

Se você já foi enganado pelo coração em relacionamentos anteriores, mas aprendeu a colocar a razão acima dos sentimentos e hoje está em uma relação sólida e quer firmar uma aliança com quem você ama no Altar de Deus, clique aqui para saber como fazer isso na Universal.

No site do Setor de Casamentos você encontra informações como documentos necessários para isso, datas disponíveis, como proceder, etc.