Relacionamento

Casar ou morar junto?

2 comments1453 views

Entenda a diferença entre uma coisa e outra

Esse roteiro já foi imaginado por centenas de milhões de pessoas pelo mundo afora, mas está cada dia mais sendo substituído. Nos Estados Unidos (EUA), só nos últimos 50 anos, o número de casais que vivem juntos sem serem casados oficialmente aumentou 1,500%. Se em 1960 eram 450 mil, hoje são 7,5 milhões. É o fenômeno chamado coabitação (habitar em comum).

No Brasil também é crescente a união consensual (aquela em que não há cerimônia de casamento no civil nem no religioso). Dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam um crescimento de 8% desse tipo de união.

Mas uma pesquisa realizada pelo National Marriage Project, da Universidade de Virgínia (EUA), revelou um dado interessante da relação entre a coabitação e o aumento no número de divórcios. Segundo o estudo, os casais que moram juntos antes do casamento (e especialmente antes de um noivado ou de um compromisso claro) tendem a ser menos satisfeitos com os seus casamentos e mais propensos ao divórcio que casais que não moram.

Uma decisão impensada

São muitos os motivos alegados para um casal morar junto. Seria mais barato e conveniente, já que, em vez de passar mais tempo um na casa do outro, podem ficar em um só lugar e dividir as contas. E se não der certo a saída é rápida e acontece gradualmente, sem nenhum marco inicial de anéis ou cerimônias.

Quando são indagados sobre o porquê de não oficializarem a união, muitos casais alegam que se trata apenas de um pedaço de papel que não faz nenhuma diferença.

O casal Renato e Cristiane Cardoso, apresentadores do programa “The Love School – A Escola do Amor”, tem uma ótima resposta para essa que consideram uma desculpa:

“Se é só um pedaço de papel mesmo, então por que você não assina?” Eles consideram que a falta de atitude está no fato de que todos sabem que casamento não é só um pedaço de papel, e sim um compromisso mais sério do que muitos gostariam de assumir. E a facilidade de entrar e sair de um relacionamento em que ambos optaram apenas por morar juntos é maior.

Os apresentadores ressaltam o que significa oficializar a união: “É uma aliança, um compromisso de vida entre duas pessoas que empenham a sua palavra uma à outra. E palavra não escrita é fácil de mudar e voltar atrás.”

Se você está disposto a ter uma união oficial e quer se casar na Universal mas não sabe como proceder, existe um departamento que cuida só dessa parte: o Setor de Casamentos. Para mais informações, acesse o site oficial ou se dirija ao setor do seu estado – confira aqui os endereços.

Em São Paulo, o departamento atende nos seguintes telefones: (11) 5644-5012 / 5163 / 5208, em horário comercial, de segunda a sexta-feira.

E não se esqueça: compartilhe esse artigo.