Relacionamento

Cuidado! Você pode estar traindo o seu cônjuge e nem sabe

8269 views

Confira 7 atitudes que, sem você perceber, irão lhe induzir ao adultério

Talvez, ao ler o título dessa matéria, você tenha pensado: “amo o meu marido”, ou, “amo a minha esposa”; “jamais seria capaz de traí-lo (a).” Nós acreditamos. 

Mas quem disse que quem ama não trai? Por pensar assim e não se cercarem de alguns cuidados básicos para manter um relacionamento blindado, muitos casais que se amavam hoje estão divorciados. 

Amar por si só não sustenta um relacionamento.  Daí a importância de avaliar algumas atitudes e comportamentos que, a princípio, parecem inofensivos, mas são as principais portas de entrada para a infidelidade.

O erro da maioria das pessoas é achar que, por amar o cônjuge, não se sentirá atraída por outra pessoa. Isso é uma grande mentira.  A diferença entre quem ama e quem não ama está na forma como reage quando isso acontece.  O amor inteligente foge de situações de perigo, ou seja, quando alguém se sente atraído por outra pessoa evita qualquer tipo de contato, não fica criando situações para se aproximar. É prudente.

Seja inteligente. Não confie na sua própria força.  Em provérbios 27.12 o rei Salomão adverte:

“O prudente vê o mal e se esconde; mas os insensatos passam adiante e sofrem a pena.”

Identifique abaixo 7 comportamentos aparentemente inocentes que podem estar fazendo de você um cônjuge infiel e você nem sabe:

1 – Paquera: Talvez você, sem se dar conta, esteja alimentando uma. No seu trabalho alguém está sempre lhe elogiando, você se sente admirada (o) por ele (a). Trocam sorrisos, olhares. Vez ou outra você se pega pensando nele ou nela, recordando conversas, momentos, e chega a desejar que o final de semana termine logo para voltar a vê-lo (a), e até se veste com o intuito de chamar atenção dele ou dela.  Mas você ama o seu marido, sua esposa, e, apesar de não estarem muito bem, você não tem a menor intenção de traí-lo (a). Você não quer admitir, mas essa pessoa mexe com você e embora você também não tenha intenção de se envolver fisicamente, já está envolvido emocionalmente. E, aceite você ou não, isso também é uma forma de traição.

“A única maneira de não se deixar levar por esse sentimento é acabar com ele antes que ele acabe com você”, aconselha o escritor e palestrante Renato Cardoso, em seu blog. “Amor morre por desnutrição”, ensina. Então, se você não quer que ele sobreviva, pare de alimentar esse sentimento. Corte todo tipo de contato com essa pessoa, saia do emprego se for o caso e, em contrapartida, invista no seu relacionamento com a sua esposa ou esposo. Você está alimentando o sentimento errado.  Reverta essa situação. Mude o foco.

2 – Confidente: Quando expomos nossa intimidade a alguém do sexo oposto, nos colocamos numa posição vulnerável, nos tornamos presas fáceis e, provavelmente, seremos  mal interpretados, principalmente se já existe uma segunda intenção por parte do confidente. Sem contar o risco de você ser traído pelo seu próprio coração. Se você precisa de um ombro amigo, que seja o do seu cônjuge. Ele é o seu melhor amigo. Quando você deixa de se abrir com o seu cônjuge para fazê-lo com outra pessoa, está traindo a sua confiança, sendo infiel. Se não for possível falar com o seu cônjuge, procure uma amiga – ou um amigo, no caso dos homens –, um parente ou, se for o caso, o seu pastor.

3 – Ficar a sós com alguém: Se você tem o hábito de sair ou ficar conversando sozinha com alguém do sexo oposto, saiba que isso também é uma forma de traição. Por mais que você pense que não tem nada demais, não é prudente. Isso também vale para bate-papos na internet. Devemos fugir da aparência do mal.

4 – Falar mal do cônjuge: Se não quer falar bem, também não fale mal. Se tiver alguma reclamação ou crítica, faça a ele.  Assim agem os amigos verdadeiros. Isso é respeito. Isso é fidelidade.  E como já foi dito anteriormente, nosso cônjuge é nosso melhor amigo, certo?

5 – Bilhetes ou cartas: Quer escrever para alguém do sexo oposto? Não tem problema, mas faça em seu nome e do (a) seu (sua) esposo (a), do contrário, suas intenções poderão ser mal interpretadas.

6 – Indisposição sexual: Quando você deixa de suprir a necessidade sexual do seu cônjuge ou não o satisfaz plenamente, você está sendo infiel. Se você não faz a sua parte para que seu relacionamento seja forte e saudável, cria um sentimento de frustração na pessoa amada e dá motivos para que haja insegurança entre vocês.

7 – Não faz dele (a) prioridade: Ninguém pode ser mais importante do que o seu cônjuge. Os filhos e os pais são importantes e devem receber atenção, mas nunca devem estar no topo da lista. Esse lugar é do seu cônjuge. Isso fará o seu relacionamento mais forte e ainda trará segurança para os seus filhos.  Além disso, qualquer coisa que lhe acontecer, seja boa ou ruim, o seu cônjuge deve ser o primeiro a saber. Quando você não faz isso, a mensagem que transmite a ele é: você não é tão importante assim para mim. Então, se você deseja que ele se sinta especial e importante para você, ele deve ser o primeiro a saber de tudo a seu respeito. Se você fizer isso, com certeza o mesmo ele fará a você. Isso é ser fiel.

Se não faz parte dos seus planos trair o seu cônjuge, veja abaixo algumas questões levantadas por Renato Cardoso, também em seu blog, para você refletir e começar a fazer as mudanças necessárias para o bem e sobrevivência do seu relacionamento:

  • Por que ficar olhando outras mulheres (outros homens) se você nunca planeja tê-las (los)?
  • Por que ficar focando no que o seu marido (a sua esposa) deixa a desejar se você pretende estar sempre ao lado dele (a)?
  • Por que a curiosidade sobre como está a vida do seu (da sua) ex?
  • Por que ter uma relação perigosa com aquela pessoa que flerta com você no trabalho?
  • Por que você não faz mais para que o seu casamento seja uma alegria e não um fardo?
  • Por quê?

Gostou desse artigo? Compartilhe nas redes sociais.