Blog

"Sê forte e faze a obra"

2731 views

“Agora, pois, atende a tudo, porque o Senhor te escolheu para edificardes casa para  o santuário; sê forte,  e faze  a obra.”

Essas foram as últimas palavras  de Davi à Salomão. Ele estava se referindo a missão dada por Deus a Salomão para construir, o que anteriormente havia sido idealizado por Davi, mas Deus  escolhera Salomão para realizar: O Templo que seria destinado para guardar a arca da aliança que representava a presença do próprio Deus.

Davi sabia da grandiosidade daquela obra, por isso já havia providenciado todo o material necessário para a construção. Nesta atitude, podemos ver mais uma vez o caráter excelente de Davi. Não é por acaso que foi chamado de o homem segundo coração de Deus.

O sonho era dele, mas mesmo tendo sido preterido por Deus para realizá-lo isso não o impediu de fazer tudo que estava a seu alcance para cooperar com o filho que ainda era inexperiente (I Cronicas 29). Ele não ficou ofendido com Deus por não tê-lo permitido realizar a obra. Davi era humilde e para ele o que realmente importava era que o Templo fosse erguido. As mãos que o faria era o que menos importava. Mas de qualquer maneira ainda poderia se orgulhar já que o escolhido era de seu filho.

Pensando sobre essa atitude de Davi fiquei imaginando quão bom seria se todos que fazem a Obra de Deus tivessem esse espírito de cooperação que havia em Davi.

Quantos não são aqueles que quando lhe é tirado das mãos uma responsabilidade se enche de despeito e fica desmerecendo aquele que foi colocado no seu lugar? Chega ao cumulo de no seu íntimo torcer para que o trabalho não desenvolva ou que algo saia errado. Talvez você diga: “Tá amarrado!” Realmente devia está mesmo, mas não é isso que temos visto. Ou talvez você diga: “Eu já passei por isso e não tive esse pensamento, tive maturidade o suficiente para entender que a obra é de Deus e dirigida por Ele. Quando uma liderança é trocada, seja qual for, é porque o Espírito Santo assim o quis”.

Mas será que na condição de liderado você colocou toda a sua força para cooperar com o trabalho do novo líder designado pelo Espirito Santo, como fez Davi? Ou você aproveitou a oportunidade para “tirar o corpo fora”, afinal de contas, o peso da responsabilidade não estava mas sobre os seus ombros, não é mesmo? Reflita e pese você mesmo suas reações diante das perdas e das conquistas também. Porque a exemplo do pai, Salomão também não se vangloriou, e nem se sentiu superior por ter sido escolhido por Deus no lugar do seu pai para reinar em Israel e para construir o lugar sagrado. Pelo contrário ele se colocou na dependência de Deus, reconheceu que não tinha capacidade suficiente para estar a frente de uma nação tão numerosa.  E foi consultar a Deus e Lhe pediu sabedoria e conhecimento para conduzir o povo  (2 Cronicas 1:5;10).

Mas ainda existe outro ponto que me chamou atenção nas palavras de Davi a Salomão. Antes de entrar nele vamos recapitular.

A grande angústia de Davi era saber que a Arca da Aliança  – que representava o próprio Deus – habitava em tendas enquanto ele habitava num palácio. Por isso desejou em seu coração construir o Templo.

Quando Deus designou Salomão para essa missão Davi sabia da grandiosidade e da importância dessa obra por isso advertiu o filho:

“Sê forte e corajoso e faze a obra; não temas, nem te desanimes, porque o SENHOR Deus, meu Deus, há de ser contigo; não te deixará, nem te desamparará, até que acabes todas as obras para o serviço da Casa do SENHOR.” (I Cronicas 28.20)

O ponto: O Templo hoje somos nós e a Arca da Aliança o Espírito Santo. Onde mais Ele deseja habitar senão dentro daqueles que nasceram dEle?

Uma vez sendo a morada do Espírito Santo, Ele também tem nos escolhido e designado para construirmos novas moradas para Ele habitar.

E quando fazemos isso? Quando ganhamos almas e as levamos a ter um encontro com Deus, para que assim Ele possa nelas habitar. Não  é isso que acontece quando a pessoa recebe  o Espírito Santo? Deus passa a habitar dentro dela?

Esse é o nosso trabalho como homens  e mulheres de Deus.

Mas para isso precisamos ser fortes e corajosos suficientemente  para tirarmos  o foco da nossa própria vida, das nossas necessidades para focarmos na dor do aflito, nas necessidades do povo, pois só  assim poderemos  realizar a obra para a qual fomos chamados.

Quanto a nós devemos confiar que Ele não nos deixará nem nos desamparará até que concluamos a obra que confiou em nossas mãos. Ou você tem dúvida disso?

Como disse Davi a Salomão: “…sê forte,  e faze  a obra.”

Só  os fortes são capazes de concluir uma obra tão grandiosa.

Jeane Vidal