Matérias

“Caravana do Resgate” no Templo de Salomão

1952 views

Milhares de pessoas comparecem em busca de uma nova chance

“Hoje estou aqui não porque mereço, eu sei, pois Tu sabes por onde eu andei…”

Foi cantando essa canção que o bispo Domingos Siqueira deu início à “Caravana do Resgate” realizada neste sábado, às 18 horas,  no Templo de Salomão, no bairro do Brás, em São Paulo. Milhares de pessoas compareceram em busca de um renovo espiritual.

A letra da canção retrata bem a condição espiritual daqueles que um dia se afastaram da presença de Deus, mas que ainda anseiam por uma nova chance de recomeçar e viram essa reunião como uma oportunidade de restauração.

“A falta de comunhão com Deus é o grande problema, é o que tem feito muitos caírem na fé”, afirmou o bispo. Ele explicou a importância de cuidar da vida espiritual, especialmente para aqueles que são voluntários na Obra de Deus, pois muitos, infelizmente, quando se tornam obreiros, relaxam, porque acham que o serviço prestado na Igreja irá mantê-lo de pé. Mas na verdade é aí que o cuidado deve ser redobrado. “Se antes você orava, lia a Bíblia, agora que você é um obreiro, muito mais deve cuidar”, salientou.

Ele falou ainda da importância de manter a pureza do coração, a simplicidade e a prática do primeiro amor, pois só assim é possível permanecer firme, mesmo diante das lutas e perseguições. “Você tem a chance de ser salvo hoje. Foi Deus quem lhe trouxe aqui, não para lhe acusar ou condenar, mas para apagar o seu passado”, disse o bispo, convidando a todos que desejassem recomeçar a irem à frente do altar para receberem a oração de libertação. Na oração, pediu a Deus que o nome de todos fosse escrito no Livro da Vida.

“Eu coloquei na cabeça que Deus não me queria mais”

Entre os resgatados estavam Sueli da Silva, de 48 anos, e André Ribeiro, de 37 (foto ao lado). Sueli, a exemplo de muitos, se afastou por conta dos problemas familiares. Esteve de obreira por 11 anos e há 5 estava afastada da Obra. Permaneceu indo à igreja por um tempo, mas logo veio o esfriamento e ela abandonou a fé.

“Eu coloquei na cabeça que Deus não me queria mais, que não adiantava. Mas hoje decidi aceitar o convite para vir aqui. A reunião, como eu já previa, foi maravilhosa. Estou me sentindo com as forças renovadas. Amanhã mesmo irei com o meu esposo buscar a Deus logo pela manhã”, garantiu.

André, por sua vez,  foi obreiro por 1 ano e estava afastado desde 1999. Ele, que já havia recusado muitos convites de seus antigos companheiros de Obra para voltar. Dessa vez, resolveu aceitar. “Há muitos anos eles lutam por mim, jejuam, e eles nunca tiveram a oportunidade de me ver bem, por isso hoje resolvi vir. Eu nasci de novo. Estou saindo daqui totalmente transformado. Foi uma reunião que eu jamais imaginaria que seria assim. Estou indo embora com a certeza da Salvação na minha vida.”

André e Sueli são apenas dois de muitos outros que, nesse dia, tiveram a chance, talvez a última, de se reencontrarem com Deus. Eles não desprezaram, e por isso foram embora com a certeza de que tudo se fará novo a partir de então.

Por Jeane Vidal / Fotos: Demetrio Koch