Blog

Você tem personalidade?

1025 views

Gosto muito de expressões populares, mas sempre que posso busco por curiosidade, conhecer a origem delas.

Existem aquelas que têm permanecido na “boca do povo” por séculos; as engraçadas; as regionais; e algumas que são tão fortes que sozinhas já dizem tudo.

A expressão “Maria-vai-com-as-outras”, segundo a tradição, surgiu com Maria I, rainha de Portugal, que foi vítima, por 24 anos, de uma doença mental. Por causa disto só saia acompanhada e era altamente controlada por todos.

Hoje essa expressão retrata claramente pessoas que são influenciáveis, que nunca tem sua própria opinião e aquelas que são dependentes emocionalmente de outras.

Tem sido tão comum ver o cinema, a TV, a literatura e a moda ditarem seus padrões e pessoas fielmente seguirem sem ao menos avaliarem.

Recentemente, vi claramente uma cena no metrô que me despertou a vontade de escrever sobre isso. Eram duas crianças praticamente da mesma idade. Uma estava com a fantasia de um super-herói da moda e a outra criou sua própria fantasia. Esta usava uma peruca colorida muito engraçada, com uma combinação de roupa sobreposta, arrematando com sua botinha cheia de estilo.

Não tenho nada contra você usar uma tendência de moda ou se identificar com o gosto de outra pessoa, mas ao ver aqueles dois garotos, imediatamente percebi quem tinha personalidade: a TV e os colegas não conseguiram fazer a cabeça do que usava a roupa do super-herói real.

Não quero incitar o espírito crítico gratuito ou questionamentos infundados, mas que cada um analise bem o que ouve, vê ou lê.

Ao ouvir uma notícia no jornal, entenda o que está por trás daquilo e construa sua opinião. Ao ler um livro ou assistir a um filme, perceba a mensagem que está sendo passada.  Ao ver uma propaganda, pense. Me desculpe os profissionais da publicidade e do marketing, mas vou repassar uma frase que ouvi e achei o máximo: ” Propaganda é uma maneira inteligente de fazer você comprar o que não precisa; com o dinheiro que você não tem; para mostrar a quem você não ama, aquilo  que você não é.”

Nunca compre, use ou goste de algo porque é a onda do momento.

Ouça o que lhe dizem, porém reflita antes de tomar atitudes para ver se realmente aquilo é bom para você.

A insegurança torna o ser humano um mero imitador, sem personalidade e dependente da aprovação dos outros.

A política do nosso País prova e muito desse fato. Como os eleitores, que em sua maioria pouco participam, pouco entendem e pouco cobram, toda a população não se beneficia de seus direitos.

É claro que observo também um tipo de pessoa que tem opinião, mas a revela ou a esconde de acordo com o momento e as pessoas, e isso sempre para tirar vantagens. Por fora são doces e boazinhas, mas por dentro, inflexíveis e calculistas. Se o momento pede muita brincadeira, ela pode ser a pessoa mais extrovertida do mundo. Se pede uma seriedade, de uma hora para outra ela se transforma. São os camaleões da vida, que se dão bem com tudo e todos, até serem revelados.

Eu sei, eu sei que todos mudamos ao longo dos anos, não permanecemos com a mesma velha opinião formada sobre tudo, isso é normal e saudável. Não obstante, que nossas mudanças sejam sempre para melhor.

Já temos muita metamorfose ambulante por aí, que hoje ama e amanhã odeia; que hoje diz uma coisa e amanhã diz o oposto; que hoje trata bem e amanhã trata mal…Não seja uma Maria-vai-com-as-outras!

Núbia Siqueira