Blog

Boas maneiras em uma visita ao hospital

1971 views

Young woman embracing her mother from behindEm nenhum momento da vida as palavras amar e cuidar são mais provadas do que na hora da doença.

Só aprende a dar o verdadeiro  valor à saúde quem um dia viu de perto a fragilidade do corpo. Estar doente ou ver algum ente querido nesse estado é muito difícil. O dia a dia dentro de hospitais, clínicas e laboratórios pode se transformar em uma fonte de tristeza que, muitas vezes, é permanente diante de processos crônicos.

E quando ouvimos falar sobre alguém que está enfermo, pensamos sempre em alguma forma de ajudar. Orar por ela deve ser a primeira coisa, e para isso não há regras humanas, somente a nossa fé.

Em seguida pensamos em visitá-lo, e sendo em casa ou em um hospital, devemos observar algumas recomendações muito úteis. Vejam:

  • Evite chegar de surpresa em uma visita. Ligue antes, converse com a pessoa ou alguém próximo sobre o seu desejo em ir, qual o melhor horário, e caso seja pedido a privacidade em não visitar, respeite.
  • Quando chegar ao quarto, bata na porta, espere um pouquinho e entre. Normalmente, pessoas acamadas não costumam se levantar a todo momento.
  • Evite tocar nos equipamentos do quarto; não se sente na cama do doente e nem se debruce sobre ele para falar; e não use o banheiro do quarto.
  • Sempre há exigências médicas sobre remédios, horários e dieta alimentar, não faça nada por sua conta.
  • A visita deve ajudar de forma significativa, dando ânimo e forças àquele que está doente. Seja amável no falar e tenha um tom de voz agradável e firme. Se a pessoa quiser conversar, seja uma boa ouvinte, mas nada de se aproveitar e sair perguntando demais.
  • Não perca a oportunidade de falar do Senhor Jesus, mas evite ficar pregando e fazendo estudos bíblicos. Para despertar a fé, não precisa falar muito. Tenha discernimento em saber que cada pessoa precisa de uma palavra, mas nem todos que estão doentes precisam ouvir: “Ponha em ordem tua casa porque morrerás.”
  • Seja sábio ao passar a fé, não se aproveite da fragilidade da pessoa para impor ou discutir. Ungir com óleo, impor as mãos ou orar deve ser um desejo da família ou da própria pessoa.
  • Visitas não devem ser demoradas, senão ficam cansativas e podem atrapalhar na recuperação do paciente.
  • E algo muito importante, principalmente para integrantes de grupos de evangelização em hospitais: nunca faça visitas estando gripado. Há casos de pacientes em que um simples resfriado pode levá-los a óbito.
  • Cada hospital tem suas normas e horários, seja educado com todos os funcionários e respeite o que é estabelecido.

Dependendo do lugar, é permitido levar flores, revistas, jornais, brinquedos…

Recebemos todos a mesma recomendação de cuidar uns dos outros, e as nossas experiências compartilhadas ajudam quem hoje está enxugando lágrimas.

Se você já esteve doente, hospitalizado, o que ajudou na sua recuperação?

Divida conosco: qual a melhor maneira de cuidar de alguém doente?

Ps.: Lembro-me de quando meu filho era menor e precisou ficar internado. Foram longos 16 dias e noites, que pareciam intermináveis. Ter o Senhor Jesus comigo todo tempo fez toda diferença para vencermos. E quando chegava a hora da visita, tinha sempre alguém disposto a fazê-lo rir. Na hora da dor podemos criar laços fortes e nos tornar irmãos, marcando  a vida daquela pessoa para sempre.

Nunca deixe de oferecer ajuda! Espero o seu comentário !

Captura de Tela 2015-01-18 às 23.28.53Nubia Siqueira