Falso: Governador de São Paulo entregará Fundação Casa para a Universal

Mito: Mensagens que circulam pelo aplicativo WhatsApp informam que o governador de São Paulo, João Dória, “trabalha uma parceria” com a Igreja Universal do Reino de Deus “para que esta assuma as unidades” da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (CASA).

De acordo com as mensagens, a Fundação Casa será privatizada e todos os servidores que não concordarem com a presença da Universal, serão demitidos.

A Fundação Casa aplica medidas socioeducativas aos menores infratores, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A instituição atende jovens de 12 a 21 anos incompletos em todo o estado de São Paulo.
Eles estão inseridos nas medidas socioeducativas de privação de liberdade (internação) e semiliberdade. As medidas — determinadas pelo Judiciário — são aplicadas de acordo com o ato infracional e a idade dos adolescentes.

Verdade: a Universal jamais cogitou assumir a Fundação Casa.

O secretário de Justiça e Cidadania de São Paulo, Paulo Dimas Mascaretti, também divulgou uma nota desmentindo o boato que circula pelo WhatsApp, de privatização da Instituição e de terceirização de serviços.

O fato é que, desde 1988, a Universal mantém um programa social – Universal Socioeducativo – que ajuda na ressocialização de jovens que foram apreendidos pela prática de crimes. São 8.340 voluntários, em todo o Brasil, oferecendo aos adolescentes apoio social e psicológico e jurídico, além de cursos, palestras, entretenimento cultural e esportivo.

Em 2018, o Universal Socioeducativo atendeu 213.804 jovens internos em todos os estados brasileiros.

Falso: Cartaz da Universal anuncia projeto de “nação evangélica sob o comando do Bispo Edir Macedo”

Mito: Circula pela Internet a imagem de um cartaz saudando o presidente eleito Jair Bolsonaro como “enviado de Deus” e anunciando a suposta “inauguração do projeto da Igreja Universal do Reino de Deus de transformar o país em uma grande nação evangélica, sob o comando do Bispo Edir Macedo”.

A diagramação do cartaz repleto de logos da Universal sugere que autora do impresso seria a própria Igreja.

Verdade: Este cartaz não foi produzido pela Universal. Trata-se de falsificação grosseira, que se apropria da fake news (notícia falsa, em inglês) criada por jornalistas e “especialistas” brasileiros, de que Igreja tem um “plano de poder para tomar o Brasil”.

O único plano da Universal é divulgar a Fé cristã e ajudar os necessitados.

Este tipo de mentira se alimenta do preconceito religioso que existe no Brasil, para atacar os evangélicos.

Se os cristãos foram decisivos na escolha de um novo rumo para o país, que bom para a nação. Ou será que esses jornalistas e “especialistas” que inventaram o “plano da Universal para tomar o poder”, temem políticos que honrem os valores que a Bíblia defende, como família, honra, honestidade, solidariedade?

Falso: Universal quer sanção de lei que extingue título de “Padroeira do Brasil”

Mito: De acordo com um texto com o timbre da Câmara dos Deputados que circula pelo WhatsApp, o Bispo Edir Macedo fez um acordo com o candidato à Presidência da República pelo Partido Social Liberal (PSL), Jair Bolsonaro, para a sanção de uma lei que retira de N. Sra. Aparecida a condição oficial de “Padroeira do Brasil”. Pelo texto, a aprovação do Projeto de Lei 2623/07 seria “moeda de troca para oferecer apoio a Bolsonaro”.

Outra mensagem que circula pela Internet reproduz o portal do jornal Folha S. Paulo que relata uma proposta do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) para mudar o tom de pele da imagem da mesma santa, ideia que teria sido discutida com o Bispo Macedo.

O texto atribuído à Câmara dos Deputados também informa que o líder espiritual da Universal “quer implantar também o ensino evangélico a todas as crianças, a partir da creche, em janeiro de 2020”.

Verdade: Nem o Bispo Edir Macedo, nem a Igreja Universal do Reino de Deus tem qualquer relação com esse projeto de lei, que tramitou na Câmara dos Deputados há uma década.

Aliás, uma simples consulta à tramitação da proposta na Câmara desmonta completamente a fake news, pois consta que o PL  2623/07 foi rejeitado pela Comissão de Educação e de Cultura (CEC) em 9/7/2008 e arquivado em 22/08/2008. Ou seja, há 10 anos o projeto nem existe mais.

Quanto ao texto atribuído à Folha de S. Paulo, o jornal desmentiu o boato informando que “é possível conferir no índice da edição impressa daquele dia (11/10), não foi publicado nenhum texto com o título igual àquele da mensagem compartilhada ou sobre qualquer proposta de alterar a imagem” da santa.

Já sobre a fake news do ensino religioso nas escolas públicas, a Universal defendeu exatamente o contrário em audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF): a Igreja apoia o ensino religioso não confessional, que deve ser facultativo, com professores qualificados para tal. “O ensino deve ser sobre religião, e não da religião”, afirmou o representante da Universal durante a audiência.

Falso: Durante reunião em São Paulo, Bispo Macedo determina “terror” contra o PT

Mito: A página no Facebook “Militantes de Esquerda” publicou dia 14/10, um vídeo de um homem que se identifica como “membro da Igreja Universal do Reino de Deus”. Segundo ele, o Bispo Edir Macedo teria conduzido uma reunião em São Paulo, na semana anterior.

“O Bispo Macedo pediu que, nesse final de campanha, impetrássemos (sic) dentro do Brasil o terror para que o PT perdesse a eleição”, relata o personagem do vídeo.

Verdade: Tal reunião nunca existiu, até porque o líder espiritual da Universal está em viagem missionária há mais de dois meses, fora do Brasil. É impossível o Bispo Macedo ter estado em São Paulo na última semana.

O autor dessa fake news (notícia falsa, em inglês) mente de modo covarde para tentar enganar os eleitores. No vídeo, ele afirma que fez campanha para Jair Bolsonaro no primeiro turno das Eleições. Mentira! Todas as postagens no perfil pessoal dele no Facebook são de apoio a Fernando Haddad.

Tanto o responsável pelo vídeo quanto aqueles que propagaram a mentira, responderão na Justiça pelo ato criminoso.

“Golpe da Igreja Universal” rouba dados de cartão de crédito pelo WhatsApp

Mito: Segundo reportagem publicada no portal Tecmundo, uma mensagem da Igreja Universal do Reino de Deus, que circula pelo WhatsApp, está pedindo doações para que os fiéis sejam “patrocinadores da obra de Deus”, contribuindo com valores entre R$ 10 e R$1 mil. O objetivo, segundo a publicação, é “roubar os dados de cartões de crédito”.

Verdade: A própria reportagem do Tecmundo esclarece que se trata de um golpe praticado por “criminosos usando o nome e a marca da Universal para tentar enganar pessoas na Internet”.

Contudo, a matéria chegou a circular com um título sensacionalista, que o portal reconheceu que “deixava a impressão equivocada de que a Igreja Universal estaria por trás deste golpe”. O título foi corrigido e o Tecmundo se desculpou pelo erro.

Vale a pena repetir que as únicos meios de oferecer uma doação para a Universal pela Internet, são o portal oficial pelo link https://doacao.universal.org , a plataforma específica na página oficial da Universal no Facebook e pelo aplicativo oficial da Igreja para smartphones.

E se você se deparar com alguma notícia nitidamente falsa ou estranha sobre a Universal, denuncie imediatamente clicando aqui.

Igreja Universal desvia donativos de vítimas de desabamento

Prédio de 26 andares em chamas desaba em São Paulo

Mito: De acordo com um vídeo que circula nas redes sociais, a Igreja Universal estaria desviando donativos recebidos para atender as vítimas do edifício que ruiu após incêndio na madrugada desta terça-feira (1º), no Centro de São Paulo.

O vídeo mostra donativos sendo levados para um veículo da Universal, que, segundo o autor das imagens, estariam sendo furtados pela Igreja.

Verdade: Trata-se de mais um exemplo de fake news, uma notícia mentirosa, lançada, irresponsavelmente, para atacar a Igreja Universal nas redes sociais.

Conforme amplamente divulgado pela Imprensa, desde a ocorrência da tragédia, cerca de 500 voluntários da Universal estão colaborando no apoio às vítimas e no trabalho dos bombeiros, fornecendo água, isotônicos e alimentos para que os socorristas possam suportar as altas temperaturas do local.

O veículo da Universal que o vídeo mostra, estava transportando donativos para outro local, a pedido da Cruz Vermelha.

Além disso, a Universal já arrecadou mais de 2 toneladas de alimentos não perecíveis e centenas de peças de roupas e calçados, para distribuição aos desabrigados.

Há mais de 30 anos, a Igreja Universal participa de campanhas de socorro e de apoio a vítimas de tragédias, oferecendo, além de comida e abrigo, muito trabalho voluntário e solidariedade. Quem sabe o autor desse vídeo mentiroso não resolve arregaçar as mangas, e trabalha um pouco para ajudar quem precisa.

 

Igreja Universal vende copo d’água “diretamente do Nilo”

Mito: Por R$ 130, a Igreja Universal do Reino de Deus estaria comercializando copos com a água do Rio Nilo “bebida por Moisés”.

Verdade: Trata-se de um boato mentiroso que circula nas redes sociais desde 2015. Aliás, esse tipo de calúnia é recorrente e tem merecido da Igreja Universal, inclusive, a tomada de medidas judiciais.

O rumor sobre o copo d’água da Universal é semelhante a outros que já foram inventados, sobre venda de vassouras e sabonetes.

É preciso ter cuidado e responsabilidade com a informação que se compartilha, para não dar eco a boatos mentirosos que, mesmo sob um olhar ligeiro, deixam claro que se trata de uma fraude.

Caminhão com logo da Prefeitura do Rio despeja concreto em obra da Universal

Mito: Circula um vídeo pela internet que mostra um caminhão com identificação da Prefeitura do Rio de Janeiro em frente a uma construção. Segundo o autor da gravação, a obra seria de um templo da Universal e o caminhão estaria despejando concreto no local.

Verdade: o imóvel não pertence à Universal e o caminhão é de uma empresa terceirizada que atendia a gestão anterior da Prefeitura do Rio, do prefeito Eduardo Paes. Basta olhar o logotipo antigo colado no veículo.

É mais um boato mentiroso espalhado por quem pretende atacar a Igreja Universal e seus adeptos.

Igreja Universal estimula discriminação contra cultos afro-brasileiros

Mito: A Igreja Universal do Reino de Deus pratica “reiteradas atitudes agressivas” contra adeptos dos cultos de matriz africana, que seriam “apedrejados, espancados e surrados com Bíblias”, segundo reportagem da Agência Pública divulgada na Internet, citando estudo dos anos 1980.

A autora da matéria fez, ainda, uma relação entre o suposto aumento do número de denúncias de “discriminação por motivo religioso” e a eleição do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, bispo licenciado da Universal.

Verdade: Embora as diferentes denominações religiosas tenham crenças distintas, a Universal respeita todos os credos exatamente por defender as liberdades de religião, de pensamento e de expressão asseguradas em nossa Constituição Federal.

Assim, mesmo divergindo – como é nosso direito, assegurado pela liberdade de culto – a Universal jamais perseguiu ou atacou pessoas por suas convicções espirituais.

Pelo contrário, respeitamos a todos porque, como vítimas maiores do ódio religioso no Brasil, também exigimos o mesmo respeito.

Universal promove estudo bíblico para divulgar novela da Record TV Apocalipse

Mito: segundo texto publicado no portal “Observatório da Televisão”, a Igreja Universal do Reino de Deus estaria promovendo uma “divulgação indireta da próxima novela da emissora, Apocalipse”. De acordo com a publicação, “para familiarizar os fiéis no assunto” e “atraí-los para assistir o folhetim”, a Universal reuniria, aos domingos, no Templo do Salomão, em São Paulo, “os seguidores para um estudo acerca do livro apocalíptico”.

Verdade: desde seu início, a Universal prove estudos bíblicos sobre o Apocalipse, que são fundamentais para a Fé cristã. Além disso, há anos, o portal Universal.org e todos demais veículos da instituição também divulgam textos sobre o assunto.

O veículo de comunicação deveria, pelo menos, verificar a informação para não publicar a versão deturpada de um fato como se fosse a verdade. É o que exige a prática do bom jornalismo.