TEMOR ÀS COISAS SANTAS

“Os seus sacerdotes violentam a Minha lei, e profanam as Minhas coisas santas; não fazem diferença entre o Santo e o profano…” (Ezequiel 22.26)

Violentam a Minha lei: abusam da Palavra de Deus, A usam para fazer o que querem fazer, assim como Satanás fez no deserto ao tentar o nosso Senhor Jesus.

Profanam as Minhas coisas santas: desrespeitam o que é santo, como as reuniões da igreja, o povo e a oferta, que é o sangue do povo que cobre o custo de vida do pastor.

Não fazem diferença entre o Santo e o profano: Nosso corpo é santo. Nossa saúde é santa. Nosso tempo é santo. Nosso casamento é santo. Nosso serviço ao Senhor é santo. Nosso lar é santo. A Obra é santa. Quando se trata o corpo de qualquer maneira, se está profanando o que é santo. O mesmo se aplica à nossa saúde, quando não nos importamos ou não tiramos tempo para ela. O tempo que gastamos com certos hábitos e hobbies. O descuido com o nosso lar. Quando falta zelo com a Obra e se estima mais as amizades ou a própria popularidade no corpo de pastores.

Ele termina o capítulo com as consequências que vêm sobre estes “sacerdotes”:

“Por isso Eu derramei sobre eles a Minha indignação; com o fogo do Meu furor os consumi; fiz que o seu caminho recaísse sobre a sua cabeça, diz o Senhor Deus.” (Ezequiel 22.31)

Tenhamos temor ao que é santo também.