O ESPECIALISTA NA CURA DOS VÍCIOS CLAUDIO LANA, RESPONSÁVEL POR ESSE TRATAMENTO, TAMBÉM VIVEU O DRAMA DOS VÍCIOS E EXPLICA:

‘‘Aos doze anos comecei a trabalhar no bar do meu irmão e conheci a bebida e o cigarro; logo em seguida veio o lança-perfume… pela minha idade parecia mais uma brincadeira como outra qualquer, porém a armadilha já estava preparada! Em seguida quis experimentar sensações novas, estava aberto a novas aventuras. Veio a maconha, o haxixe, mesclado, LSD, cola de sapateiro, até conhecer a cocaína e por último o crack. Foi quando, aos meus 16 anos, sofri minha primeira convulsão por conta dos vícios.

A partir dali comecei a enxergar as consequências negativas que os vícios vinham trazendo para minha vida (até então não enxergava). Fui diagnosticado com esquizofrenia e transtorno bipolar e passei a me tratar com medicamentos fortíssimos; E pra piorar, continuei me aprofundando no vício. Costumo dizer que todo viciado passa por três fases: 1ª (do engano): quando diz que não é viciado, que é só usuário e que para quando quiser. 2ª (da tentativa): quando começa a enxergar as consequências negativas e inicia a luta para tentar vencer o vício. 3ª (da desistência): quando, depois de inúmeras internações e tentativas frustadas de vencer o vício, se entrega, sem mais forças para reagir.

Eu posso dizer que vivi essas três fases. Depois de inúmeras tentativas para acabar com o vício, cheguei à fase da desistência, em que não acreditava na minha recuperação. Cheguei a atentar contra minha própria vida, devido à depressão e às vozes que ouvia na minha mente dizendo que para mim não havia solução. Foi quando descobri que por trás do vício existia uma força opressora, que hoje chamo de “espírito do vício”. É ele que domina e influencia a mente do viciado, muda seu comportamento, corta sentimentos pela família e engana o viciado dizendo que é “só hoje, amanhã ele para”. Arrancou o causador do vício, acaba o vício! E é exatamente isso que esse tratamento proporciona, o fim desse sofrimento. Hoje estou curado há mais de dezoito anos, sem vontades, desejo, recaídas, e vivendo como se nunca tivesse usado drogas na minha vida.